Headstart Conductor

Banking as a Service (BaaS): uma nova forma de ter o seu próprio banco

31/01/2019 - 0 Comment(s)

O Banking as a Service (BaaS) é a solução para qualquer empresa que queira oferecer serviços financeiros digitais aos seus clientes, sem se tornar um banco


No mundo corporativo, cada vez mais itens, soluções, partes do negócio se tornam "as a service": SaaS (Software as a Service), DaaS (Data as a Service), PaaS (Platform as a Service), IaaS (Infrastructure as a Service)… No nosso dia a dia também vemos mesma tendência - soluções como Uber e o Airbnb, que entregam serviços de motorista e locações residenciais sob demanda, contratados com facilidade e rapidez, e pagos conforme o uso, “as a service”.

E por que não oferecer também às empresas a possibilidade de terem seu próprio Banco como serviço? O Banking as a Service (BaaS) é uma novidade no Brasil e promete ser a solução ideal para empresas que desejam oferecer serviços financeiros a clientes, funcionários, canais etc, mas sem a obrigatoriedade de operar como uma instituição bancária.

Hoje em dia, e com o auxílio do BaaS, fintechs e organizações de diversos segmentos podem oferecer ao mercado uma série de serviços que antes eram de exclusividade dos bancos e instituições financeiras, como conta de pagamento, cartão pré-pago e de crédito, saque, depósito, transferência, pagamento de contas, etc.

À medida que o setor bancário continua sua jornada digital, a demanda dos consumidores por mais transparência, conveniência e disponibilidade 24/7 só aumenta. Eles exigem maior controle e autonomia, e se mostram mais resistentes às limitações geográficas ou de horário de funcionamento.

Então, se a sua empresa quer oferecer serviços financeiros no formato que os consumidores gostariam de consumí-los, sem ter de arcar com todo o investimento e esforço operacional, o Banking as a Service (BaaS) pode ser uma alternativa interessante.


O que é Banking as a Service (BaaS)?

Uma solução que permite que qualquer empresa ou instituição tenha o seu banco, com a sua marca e o seu modelo de negócios, de forma rápida e sem complicações. Simples assim.

Através de uma de uma conta digital e um cartão bandeirado multiuso integrados um aplicativo, a plataforma oferece aos usuários a experiência completa de um banco digital, que pode ser destinado a diversos públicos: funcionários, clientes, fornecedores, canais, entre outros.

Para a empresa ou instituição contratante, o BaaS faz o papel da instituição de pagamento e do emissor, se responsabilizando pelas operações, licenças, compliance, legislação, tecnologia e segurança – ou seja, por toda a parte regulatória e técnica, para que as empresas possam focar somente no que realmente importa: captar, se relacionar e fidelizar clientes.

Como exemplo, vemos abaixo o modelo de BaaS desenvolvido pela Conductor, que é baseado no framework de processamento de cartões das diversas bandeiras, trazendo uma experiência de banco alicerçada em um Core (Emissão de Pré-Pago + Conta de Pagamento), e em uma camada de APIs que funciona como um grande agregador de de funcionalidades em constante evolução (que oferece serviços como transferências bancárias, peer-to-peer (P2P), recarga de celular, pagamento de contas, entre outras):


Sem uma plataforma como essa, desenvolver e gerenciar toda a cadeia de meios de pagamento de um banco digital pode se mostrar uma tarefa bastante complexa:

  • Estruturação da tecnologia a ser utilizada;

  • Fechamento de acordos comerciais para fornecimento de serviços como pagamentos de contas e recargas de celular;

  • Modelo de conciliações;

  • Relacionamento com as bandeiras;

  • Licenças e regulamentações;

  • Investimento inicial;

  • Expertise interna para administrar um banco.

Todo o processo documentado acima pode levar muito tempo e só seria rentável se realizado em grande escala.

Mas o Banking as a Service poupa as empresas de todo esse trabalho, pois se responsabiliza por toda e qualquer interação com órgãos reguladores, já possui uma licença de emissor e já tem negociados todos os deals de serviços como pagamentos de contas, recargas e demais serviços financeiros.

Ou seja, o BaaS é o modelo perfeito para as organizações que desejam, dentro de poucas semanas e sem se preocupar com as barreiras regulatórias, começar a oferecer serviços financeiros aos seus clientes.


Como funciona?

Os módulos de conta de pagamento digital e cartão pré-pago ou de crédito são, em conjunto, a interface do usuário com a economia real. Ou seja, a experiência do cliente com o BaaS acontece principalmente no ambiente digital, através de um aplicativo proprietário personalizado, no qual ele tem controle sobre suas informações e transações financeiras. Já para realizar as movimentações em sua conta, o usuário conta com um cartão físico ou virtual, cujo design também é personalizável.

Normalmente, o desenvolvimento do aplicativo fica por conta da empresa contratante, que pode realizar o projeto internamente ou terceirizar. A integração com o BaaS é feita por meio de APIs, que conectam o front-end – aplicação com a sua marca, seus produtos e o seu look & feel – com a plataforma do banco digital, que é 100% modulável e dinâmica.


Minha empresa pode ter o BaaS?

Sim. A resposta é, de fato, tão simples quanto parece.

Não há restrições de setor, área de atuação, porte ou qualquer outra informação para definir se você pode contratar o BaaS. Por ser uma plataforma totalmente flexível e modular, o Banking as a Service da Conductor atende de startups/fintechs a grandes corporações.


Razões que levam uma empresa a querer ter seu próprio banco

Existem diversos motivos pelos quais uma empresa pode inserir em sua estratégia a criação de um banco próprio. Entre eles, listamos abaixo os principais:

  • Incrementar seu portfólio com serviços financeiros para conquistar novos clientes;

  • Ter o próprio banco para realizar pagamentos aos funcionários, fornecedores e/ou canais;

  • Aumentar seu faturamento através da comercialização de produtos financeiros;

  • Aprimorar o relacionamento e fidelização de clientes;

  • Conhecer melhor o perfil de um público de interesse por meio das informações captadas pelo BaaS.


Até bancos também podem beneficiar-se das vantagens oferecidas pelo Banking as a Service – diferente do que se pode pensar, eles não são competidores, mas sim parceiros, uma vez que o banco pode utilizar a tecnologia disruptiva do BaaS para mudança de modelo, se tornando cada vez mais digital, ganhando muita agilidade de implementação.


Por que o BaaS é um modelo inovador?

O BaaS não só permite que qualquer organização seja capaz de adicionar serviços bancários à sua estratégia de negócio, sem se tornar um banco, como garante que isso aconteça em tempo recorde e de forma que atenda às expectativas do novo consumidor – ao disponibilizar uma plataforma completa e pronta para ser integrada por meio de APIs a qualquer aplicativo, o Banking as a Service assegura um time to market muito mais rápido enquanto entrega uma experiência totalmente personalizada ao cliente final.

Share